A Internacionalização de Empresas

Cintra e Mourão, citados por Mendes (2010), apontam que a “internacionalização é o processo de concepção do planejamento estratégico, e sua respectiva implementação, para que uma empresa passe a operar em outros países diferentes daquele no qual está originalmente instalada”.

Cada vez mais as empresas brasileiras têm buscado sua internacionalização, com o intuito de se beneficiar das vantagens que lhes são proporcionadas por esse processo. Contudo, ressaltasse a importância de que haja planejamento, estudo e definições de estratégias antes da internacionalização da empresa. Esse aspecto é demonstrado pela APEX Brasil, a qual explicita que:

A internacionalização fortalece as marcas nacionais e cria um importante diferencial de mercado em um mundo cada vez mais competitivo. A decisão, no entanto, exige preparo. É essencial que a empresa interessada planeje os processos com critério, conheça o mercado, forme parcerias locais, aperfeiçoe estratégias eficientes e tenha sede por inovação. (AGÊNCIA BRASILEIRA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES E INVESTIMENTOS, 2012)

Nesse mesmo sentido, segundo Jeannet e Hennessey, citados por Schneider:

[...] quando uma empresa decide se internacionalizar, precisa ser muito mais do que um exportador para entender o ambiente de marketing do país com quem estará negociando. Antes de pensar no mercado externo, a empresa deve avaliar dentro do mercado doméstico, suas estratégias de vendas, comunicação e distribuição. Um importante desafio para a internacionalização é o entendimento dos diferentes ambientes com os quais está tratando. (SCHNEIDER, 2002, p. 14)

Segundo Kloter, registrado por Cassar, contextualizado por Dias e Rodrigues e citados por Mendes (2010), há três alternativas de inserção no mercado internacional, sendo elas as exportações, parcerias e investimentos diretos. No entanto, é importante incluir a importação como mais uma alternativa de internacionalização, uma vez que muitos autores e estudiosos contemplam sua importância e sua representação nos resultados comerciais de um país.

Internacionalização através da importação

Para Talen (2012), “o comércio internacional entre as nações é importante para os países, para que as importações e exportações sejam realizadas com sucesso. Com a globalização, a prática de importação se tornou mais viável e atrativa”.

Para Vazquez (2004) citado por Talen (2012), “a economia mundial faz com que as nações interajam e comercializam bens e serviços, de maneira mais rápida e com tendência para aumentar as relações comerciais entre eles”.

Existem diversas formas para realizar a importação e a nacionalização do produto, dentre as quais se podem destacar: a modalidade de recolhimento integral dos impostos; isenção e suspensão dos impostos e importação de produtos que necessitam de licença ou certificado de origem. Devido ao crescimento da economia, muitas organizações estão fazendo a internacionalização da empresa, para serem mais competitivas no mercado e aumentar os lucros.

Internacionalização através da exportação

a) exportação direta: Mendes afirma que na exportação direta:

[...] a empresa exportadora participa de todas as fases que levará seu produto ou serviço ao mercado internacional. Desde a fase pré-embarque, quando então ocorrem os planejamentos de exportação, os estudos dos mercados a serem atingidos, a negociação até a fase do embarque da mercadoria ou a prestação de serviço, com todos os seus trâmites pertinentes e, ainda, as rotinas das contratações de câmbio junto às instituições financeiras e o atendimento pós-venda. (MENDES, 2010)

b) exportação indireta: as empresas, por falta de experiência no exterior, iniciam suas atividades por meio de exportações indiretas. Ainda segundo Mendes, na exportação indireta:

[...] a empresa passa a ser a fabricante ou a produtora do bem ou prestadora de serviços, ou seja, atuando somente como a fornecedora dos bens e serviços que serão negociados no exterior por uma Comercial Exportadora ou Trading Company que se responsabiliza por todos os trâmites pré e pós-embarque da exportação. (MENDES, 2010)

Esses intermediários podem ser:

  • através de Trading Companies;
  • através de Empresas Comerciais Exportadoras;
  • através de outras empresas produtora e exportadora;
  • através de Consórcios de Exportação.

Internacionalização através de licenciamento

Para Souza (2006, p. 434), “trata-se de uma modalidade na qual uma empresa licenciadora atribuiria a outra empresa o direito de fabricar, montar ou utilizar de qualquer outra forma a marca do produto”. Segundo o autor, “o licenciador pactua um acordo com o licenciado no mercado externo oferecendo-lhe o direito de usar o processo de fabricação, marca, patente, segredo comercial ou outro item de valor, mediante o pagamento de uma taxa ou de royalties”. Com isso, “o licenciador ganha ao entrar no mercado com pouco risco e o licenciado adquire habilidade de produção ou um produto/marca bem conhecido no mercado sem precisar fazer muito esforço”.

Internacionalização através de franquia (franchising)

O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) define a franquia como sendo “uma modalidade de negócio comercial, em franca expansão no Brasil e no exterior, envolvendo a distribuição de produtos ou serviços, mediante condições estabelecidas em contrato, entre franqueador e franqueado”. O franchising, neste caso é:

[...] uma estratégia para a distribuição e comercialização de produtos e serviços. É um método seguro e eficaz para as empresas que desejam ampliar suas operações com baixo investimento, representando, por outro lado, uma grande oportunidade para quem quer ser dono de seu próprio negócio. (SEBRAE, 2012)

O franqueador é:

[...] a empresa detentora da marca, que idealiza, formata e concede a franquia, do negócio ao Franqueado que é uma pessoa física ou jurídica, que adere à rede de franquia. No sistema de Franchising. , o franqueado investe recursos em seu próprio negócio, o qual será operado com a marca do Franqueador e de acordo com todos os padrões estabelecidos e supervisionados por ele. A essência do Franchising está na parceria. Por isso, o sistema tem alcançado elevados índices de êxito, medidos por taxas de sucesso das franquias nos mais diversos ramos de atividade. (SEBRAE, 2012)

Internacionalização através de IDE – Investimento Direto no Exterior

Sobre o Investimento Direto em Empresa no Exterior, o DNDES dispõe que:

As operações de Investimento Direto Externo (IDE) têm por objetivo estimular a inserção e o fortalecimento de empresas de capital nacional no mercado internacional,  através do apoio a investimentos ou projetos a serem realizados no exterior, desde que contribuam para o desenvolvimento econômico e social do País. (BNDES, 2012).

Internacionalização através de criação de filial no exterior

Segundo Souza (2006, p. 435) “o investimento direto constitui uma forma de participação no mercado exterior que requer o maior comprometimento do capital, exigindo até mesmo esforços gerenciais de grande decisão”.

A criação de uma filial no exterior, ainda segundo Souza (2006, p. 436) “pode se dar através da construção de uma nova unidade no exterior, por meio de expansão ou, ainda pela aquisição de uma unidade local”.

É importante ressaltar que essa modalidade de inserção no mercado internacional consiste numa grande exposição da empresa aos riscos impostos pelo próprio ambiente político-econômico do país receptor, ou seja, moedas desvalorizadas ou bloqueadas, mercados ruins ou até mesmo a expropriação. (SOUZA, 2006, p. 436)

Fontes:

AGÊNCIA BRASILEIRA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES E INVESTIMENTOS. Exportação. Disponível em: http://www.apexbrasil.com.br/portal/. Acesso em: 11 nov. 2012.

BANCO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO. Internacionalização de empresas. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/Produtos/FINEM/internacionalizacao_empresas.html. Acesso em: 11 nov. 2012.

JEANNET, Jean-Pierre; HENNESSEY, Hubert D.  Global Marketing Strategies. 2. ed. Boston: Houghton Mifflin Company, 1992. In SCHNEIDER, Ana Cristina Sant’anna. Um Processo de Internacionalização de uma empresa do setor noveleiro: Um Estudo de caso. 2002. 150f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 2002.

MENDES, Zilda. Internacionalização das Empresas, a Sociedade em Rede e o Papel dos Governos. Disponível em: http://www.revistaautor.com/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=604:internacionalizacao-das-empresas-a-sociedade-em-rede-e-o-papel-dos-governos&catid=101:internacional&Itemid=49. Acesso em: 11 nov. 2012.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. O que é franquia? Disponível em: http://www.pa.sebrae.com.br/sessoes/pse/tdn/tdn_fra_oque.asp. Acesso em: 11 nov. 2012.

SOUZA, Cláudio Luiz Gonçalves de. As relações internacionais do comércio: aspectos atuais do overseas trade. Belo Horizonte: Líder, 2006. 462 p. ISBN 8588466538

TALEN. A internacionalização de empresas no processo de importação. Disponível em: http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/a-Internacionaliza%C3%A7%C3%A3o-Da-Empresa-No-Processo/307563.html. Acesso em: 11 nov. 2012.

About these ads

Sobre Alex Oliveira

Graduado pela PUC-MG em Administração com linha de formação específica em Comércio Exterior e Futuro Técnico de Informática.
Esse post foi publicado em Comércio Exterior em Geral e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s