O Pré-Sal e as oportunidades para o Comércio Exterior Brasileiro

Segundo o Diário do Pré-Sal, (YERGIN, 2013) o “pré-sal é uma área de reservas petrolíferas encontrada sob uma profunda camada de rocha salina, que forma uma das várias camadas rochosas do subsolo marinho.”

Foi destaque no mês de outubro de 2013 o leilão de Libra, na Bacia de Campos, a maior reserva brasileira de petróleo. Conforme afirma Yergin, “as reservas do pré-sal encontradas no litoral do Brasil são as mais profundas em que já foi encontrado petróleo em todo o mundo. Representam também o maior campo petrolífero já encontrado em uma profunda região abaixo das camadas de rochas salinas ou evaporíticas.” Mesmo frente às manifestações que contrariavam o regime de partilha adotado para o leilão, a atual presidente, Dilma Rousseff, garantiu a segurança e desfecho.

O consórcio vencedor, liderado pela Petrobras, que ficou com 40% (10% do lance e 30% obrigatórios previstos no edital), a anglo-holandesa Shell e a francesa Total, com 20% cada uma, e as estatais chinesas, CNPC e CNOOC, com 10% de participação cada. Segundo a Diretora-Geral da ANP (Agência Nacional do Petróleo), Magda Chambriard, “foi um sucesso absoluto onde Libra terá como resultado para o governo brasileiro um montante da ordem de R$ 1 trilhão, ao longo de 30 anos de produção.”

Considerado um grande passo para a nação brasileira, o leilão do pré-sal trará grandes oportunidades de desenvolvimento, geração de empregos e investimentos internos e estrangeiros. Com isso, é inevitável que o Comércio Exterior brasileiro também não seja beneficiado.

Já é possível observar movimentações no mercado internacional em decorrência desse momento brasileiro. Os asiáticos, considerados por muitos como planejadores e investidores em busca de resultados excepcionais, já deram o seu primeiro passo. No dia 22 de outubro, a empresa Ecovix – Engevix Construções Oceânicas – em comunicado oficial divulgou que cinco empresas japonesas adquiriam 30% de seu capital. A empresa em questão é controladora dos estaleiros 1 e 2 da cidade do Rio Grande, localizada no litoral gaúcho. Segundo a Comunidade Comércio Exterior (2013), “especula-se que o grupo planeja elevar os investimentos no Rio Grande do Sul em cerca de R$ 664 milhões”. Isso também sem citar os investimentos, reformas e ampliações que já estão ocorrendo desde a descoberta do Pré-Sal.

Oportunidades para o Comércio Exterior Brasileiro passarão a ser mais evidentes a partir do momento em que as empresas do consórcio ganhador darem início as suas atividades. Enquanto isso, é necessário que as empresas e os profissionais dessa área busquem ser mais qualificados e atentos às mudanças que ocorrerão no mercado econômico.

Para o economista Jorge Arbache, em entrevista a Revista Exame (2013), haverá grande demanda para atender às necessidades dessa mega operação. Ele explicita que serão “desde dezenas de milhares de pessoas qualificadas, passando por infraestrutura de logística, construção de sondas, embarcações, máquinas e equipamentos de toda sorte, fornecimento de serviços especializados”, entre outras procuras.

Arbache ainda afirma que serão “centenas de bilhões de dólares em compras e contratos” e que “como ainda não estamos capacitados para desenvolver todas as tecnologias e inovações e muitos dos equipamentos e serviços requeridos, estamos importando muito do que precisamos e/ou usando políticas de conteúdo local que, embora importantes, estão explorando essas oportunidades e benefícios potenciais apenas parcialmente.”

Arbache acredita que o Pré-Sal colocará o Brasil no mundo através de, como ele destaca, três canais de transmissão, sendo eles:

a) Através do benefício que ele terá nas contas externas com a auto-suficiência e exportações de petróleo e derivados.

b) Através das possibilidades de desenvolvimento tecnológico, inovações e desenvolvimento de capacidades que poderão levar nossa a indústria e o setor de serviços para um novo patamar de inserção internacional, com mais valor agregado e geração de bons empregos e renda.

c) E claro, através do aumento das receitas fiscais dos Governos. Se bem utilizados, os recursos dos royalties poderão colaborar não apenas para melhorar a qualidade de vida das pessoas, mas para aumentar a competitividade da economia e reduzir a volatilidade do crescimento econômico, o que terá impactos na nossa inserção internacional e no crescimento de longo prazo.

Ricardo Cunha, chefe do departamento da Cadeia Produtiva de Óleo e Gás do BNDES, estabelecido há alguns meses com o intuito de ajudar a indústria petroleira brasileira, disse ao Diário do Grande ABC que “a política de conteúdo local vai exigir que quem ganhar novos contratos instale fábrica aqui [no Brasil]. As empresas estão vindo, há várias conversando com a gente”.

Percebe-se claramente que o Brasil passará por uma das suas melhores fases de desenvolvimento econômico, e isso, conseqüentemente, terá impacto direto no Comércio Exterior brasileiro. Cabem as empresas e aos profissionais da área estarem preparados para esse desafio, pois será através dele que alcançaremos um futuro melhor para a nossa nação.

Fontes:

EXAME. Pré-Sal – A Estratégia e a Competitividade do Brasil. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/brasil-no-mundo/2013/05/03/pre-sal-a-estrategia-e-a-competitividade-do-brasil/&gt;. Acesso em: 31 out. 2013.

JORNAL DA GLOBO. Governo comemora resultado do leilão do Pré-Sal no Rio de Janeiro. Disponível em: <http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2013/10/governo-comemora-resultado-do-leilao-do-pre-sal-no-rio-de-janeiro.html&gt;. Acesso em: 01 nov. 2013.

DIÁRIO DO PRÉ-SAL. O que é o Pré-Sal. Disponível em: <http://diariodopresal.wordpress.com/o-que-e-o-pre-sal/&gt;. Acesso em 31 out. 2013.

GOVERNO BRASILEIRO. MDIC analisa momento de oportunidades no Comércio Exterior. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2013/10/mdic-analisa-momento-de-oportunidades-no-comercio-exterior&gt;. Acesso em: 31 out. 2013

COMUNIDADE COMÉRCIO EXTERIOR. De olho no Pré-Sal, 5 grupos do Japão compram 30% de estaleiros de Rio Grande. Disponível em: <http://www.comunidadecomercioexterior.com.br/ver-noticia.php?id=2257&gt;. Acesso em: 31 out. 2013.

BRASIL COMEX. Política industrial do pré-sal mira mercado de US$400 bi. Disponível em: <http://www.brasilcomex.net/integra.asp?cd=5197&gt;. Acesso em: 01 nov. 2013.

Sobre Alex Oliveira

Graduado em Comércio Exterior e Técnico em Informática.
Esse post foi publicado em Comércio Exterior em Geral e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s